domingo, setembro 24, 2017

Bienal de Curitiba - Solar do Barão

Bienal de Curitiba


"Sobre a superfície de uma esfera, dois pontos antipodais são dois diametralmente opostos. Um ponto antipodal é frequentemente designado de antípoda.
O termo antípoda designa tradicionalmente na Europa as regiões situadas do outro lado da Terra, como a Oceania e vem do plural Antípodas.
Este termo veio de uma expressão grega significando literalmente "pés opostos" (as pessoas que habitariam nos antípodas caminhariam "ao contrário")" - wikipedia

domingo, setembro 03, 2017

Pendurando Quadros



Molduras

Na escolha é necessário considerar o quadro quanto a estilo, cores, temas e  ambiente onde estará inserido.
Um moldureiro com vivência de muitas décadas me disse:
- A moldura não deve chamar mais atenção que o quadro!


Bom conselho!  Também é necessário  harmonia entre  tema da imagem e tipo de moldura, tamanho ou cor.



Preto e branco são clássicos que dificilmente induzem ao erro. Como na moda.


Dourado para quadros com predomínio de cores quentes, prata ou chumbo para cores frias...


Harmonizar com o tema da pintura  é importante. Porém o bom-senso vem da observação do ambiente todo. As vezes um toque moderno dentro do ambiente clássico quebra a monotonia, e vice versa.


Uma pratica simples é atualizar  molduras antigas simplesmente colorindo.


Cores, sem exageros,  podem animar o ambiente. Em  decoração na combinação de cores valem as regras que usamos nas cartelas de tintas para pintura. O belo está no equilíbrio, que pode vir do contraste ou da similaridade.


É possível atender gostos e estilos diferentes sem fugir do harmônico.
Não existe "datado" em decoração, arte, perfumaria...existe o belo. O que agrada aos olhos e à nossa sensibilidade. Inclusive  mistura de estilos pode ser muito elegante.
Decoração de ambientes destina-se a  trazer boas sensações e conforto. Torna-se inútil se restrita a pré conceitos  e ao ditatorial de modismos.

Paspatur  ou Passe-Partout 


É uma moldura intermediária, classicamente neutra,  entre a obra exposta e a moldura propriamente dita.


Nas imagens em papel (aquarela, fotos e reproduções) fica em ligeiro relevo impedindo o contato do vidro com o papel da arte. Neste caso é  muito funcional.
*No uso de vidro convém avaliar o custo/benefício do uso de anti-reflexo.
De maneira geral paspatur ressalta  a arte,   sendo geralmente de cor neutra,  transição suave para a moldura.


Confere elegância.
Contudo, modernamente, muitos designers de ambiente preferem a moldura direta na tela ou imagem, de forma clean, sem intermediários. Ou telas muito grandes sem moldura. No formato do tradicional poster.


Apesar do neutro ser mais fácil  as cores, texturas e larguras inusitadas podem contribuir muito para valorização da obra.


Estampas exigem atenção para que a composição fique delicada, sem exageros que poluam o ambiente.


Atendendo a linha de cores de almofadas, objetos decorativos fica mais difícil errar. Contrastar com a cor da parede é usual, mas seguir a  cor em nuances diferentes pode resultar em visual interessante.

Disposição de Quadros


Antes de escolher tamanhos de molduras, cores e formas, ou a disposição, devemos avaliar a extensão parede onde serão colocadas, o tamanho dos móveis próximos e objetos decorativos. 


O tamanho do ambiente é fator importante. Telas enormes podem ser preciosas, porém inúmeras telas grandes "lotam" um espaço pequeno.


O destaque de telas grandes necessita muito cuidado.
Pode-se tentar uma diminuição gradativa de tamanho ou equilibrar telas únicas com  telas pequenas  dividindo a área em dois espaços distintos.


Telas menores passam despercebidas em ambientes muito grandes, mas podem sobressair se estiverem localizadas em um canto ou nicho de destaque


O mais indicado  para calcular a altura  mediana  no alinhamento dos quadros é traçar uma reta que esteja paralela  a cabeça do observador.


Existem várias disposições  conhecidas como a quadrada (1), vertical (5), linear ( 2 e 4) e livre (3).


Dentro destas disposições os arranjos podem ser simétricos ou assimétricos.


Molduras podem ser do mesmo tamanho ou tamanhos diferentes. O gosto de quem usa  e o espaço solicitam qual arranjo é mais adequado.


Após calcular a disposição pretendida pode-se realizar um teste com papel e fita adesiva. Isto evita furos desnecessários.
É bom lembrar que adesivos ou ganchos  só podem ser utilizados em quadros muito leves.


O arranjo linear alinhado por baixo pede um apoio rígido para as molduras.


Arranjo quadrado ou de forma agregada não exige molduras de tamanho idêntico, mas alinhamento dentro de um quadrado bem delimitado.


Arranjo vertical


Arranjo linear centralizado.


Composição livre seguindo a estrutura da parede


Arranjo linear. Os dois quadros da ponta quebram a definição do quadrado equilibrando a composição.


Telas grandes e únicas destacando paredes.


Arranjo linear de telas pequenas


Arranjo linear de telas pequenas equilibrando uma tela de grande dimensão.


Composição livres harmonizada pelas cores das imagens  e molduras

sábado, agosto 26, 2017

Rose Madder



Mermaid in madder rose
 
Rosa encanta. Cor quente que flutua entre o magenta e o vermelho, no ocidente significa feminilidade e amor. Reflete paz,  e sedução quando é intensa. Representa confiança em algumas culturas orientais.


Rose Madder by W&N
 
Enquanto Alizarina é um magenta intenso, Rose madder é variedade mais  suave embora profunda; ambas formadas pelo pigmento proveniente das raízes da planta Rubia tinctorum.


Alisarin Crimson
 
Este pigmento foi historicamente utilizado na fabricação do magenta intenso conhecido como   alizarina carmesin, industrialmente  sintetizado desde 1868.


Alizarin crimson e Cadmium orange  by Walter Foster

Evidências indicam que o pigmento da planta madder,  muito estável,  era usado como tintura de tecido pelos povos gregos, romanos e egípcios 1500A.C.


Rubia tinctorum:Köhler–s Medizinal-Pflanzen

No século XIII  a ruiva-dos-tintureiros, vermelho turco,  garanza ou granza era cultivada em toda Europa, principalmente na Holanda.
Contudo seu alto custo exigiu pesquisas,  e em 1804 o pintor George Field conseguiu elaborar um processo extrativo mais eficiente. Posteriormente seus estudos foram vendidos para William Winsor um dos fundadores de Winsor & Newton, formando as receitas básicas das suas tintas.