quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Conservando Pinturas


Sunlight in a Cafeteria - by Edward Hopper

Pinturas de qualquer tipo, desenhos e  fotografias exigem cuidados.

- Não exponha ao sol
A luz solar dieta incide carga de raios ultra violeta (UV) que degradarão os pigmentos coloridos. Apesar da pintura a óleo ter maior resistência que outras também sofrerá este efeitos de desbotamento.
A luz direta do sol ou luz ultravioleta produzirá mudanças na luminosidade, matiz e equilíbrio das cores
Se a pintura estiver sob luz natural proteja-a com verniz bloqueador de UV.
O ideal é manter telas sob luz difusa. A incandescente é aconselhável. Fluorescente e luz halógena também são consideradas boas, apesar dos níveis de UV serem um pouco mais altos. LED ainda sob estudo parece promissora.
Além disso o calor  dos raios solares causam danos á estrutura da película filmada.


Não é a toa que museus impedem  fotografias com flash. A mesma luz que embeleza e ressalta pode destruir a obra.
Por outro lado pinturas a óleo quando armazenadas podem escurecer ligeiramente devido as propriedades do óleo de linhaça. Isto é revertido expondo a obra a luz natural novamente.
A solução para impedir que as pinturas e desenhos  se deteriorem ou alterem propriedades visuais, quando  submetidas a cargas de  luz UV, é a proteção!
Bons vernizes finalizadores, como damar, mistura de linhaça com terebentina após secagem completa, ou até vidro com alta proteção UV são eficazes.


- Mantenha temperatura e umidade constantes.
Quando a umidade e a temperatura oscilam muito  a superfície da obra de arte se contrai e se expande. Se isto acontece repetida e rapidamente podem ocorrer quebras  ou craquelamento.
Museus monitoram as condições do ambiente com ar condicionado.
As variações de temperatura ( verão ao inverno) não devem variar mais que 60º F a 75ºF ( 15ºC a 24ºC) e a umidade relativa deve ficar entre  40% e 55%.
Evite pendurar obras de arte em áreas muito próximas as janelas, lareiras e fornos assim como banheiros e paredes externas.


- Limpe delicadamente 
Poeira junto a outros fatores como a umidade pode provocar uma acúmulo de fungos e bactérias, atrair insetos.
Use um pano seco  sem fiapos, ou um pincel macio para retirar a poeira da superfície. Cuidado maior deverá ocorrer quando a pintura apresentar sinais de rachadura ou craquelamento. Se a a sujeira for resistente pode-se usar um cotonete embebido em água destilada.
A parte de trás da tela deve ser aspirada com sucção baixa.
Profissionais de museus aconselham fugir de outros métodos de limpeza.
É necessário examinar frequentemente telas e molduras para verificar a presença de insetos e roedores que possam causar furos,  ou danos na superfície através de erosão e depósitos biológicos.
Problemas maiores requerem a limpeza ou restauração profissional.

Referências - Quora ( Christa levy); Scott Aldrich, (cloistered) Art Conservator/Fine Art Framer; The Henry Ford - The Care and Preservation of Oil Paintings  ; Peter Diianni - Fine Art and Ilustrations; Edward Hopper paintings; 

Nenhum comentário:

Postar um comentário